A ERA DE INFORMAÇÃO E O PODER DA COMUNICAÇÃO

Espaço publicitário 3

artgo de opinião
artigo sobre política e sociedade

A ERA DE INFORMAÇÃO E O PODER DA COMUNICAÇÃO

Abri três aspas para começar esta excursão reflexiológia sobre as potencialidades de informação nos nossos tempos e os efeitos de meios de comunicação social na vida pública

Estamos na Era de Informação ou economia em Rede ganha quem tiver maior capacidade comunicativa e meios de comunicação social ao seu dispor, a lógica do nosso tempo… Em várias ocasiões não se importa saber das veracidades dos factos, o que interessa é o foi dito, independentemente do prejuízo que pode causar ou os efeito socioeconómico que pode produzir.

As grandes potencias sempre recorrem aos instrumentos de informação e comunicação para fazer valer suas intenções ou interesses, manipulando a opinião pública através dos grandes medias, evocando sempre interesse da sociedade ” A nova forma de Dominação do Homem Pelo Homem na Sociedade Capitalista Avançada” esta em que estamos inseridos!

O problema que se põe, mesmo sabendo que as revelações são duvidosas e infundadas, torna muito difícil escapar ou quase impossível livrar-se dos seus efeitos ou influências, porque é uma ação estruturada, funciona a luz de uma Rede bem Protegida pelo “Sistema Dominante”. Pior de tudo é quando o contexto ou momento revela alguns indicadores que pode justificar tais ações.

Recentemente fala-se muito de tráfico de droga na Guiné-Bissau envolvimento autoridades nacionais, o que não deixa de ser preocupante para qualquer indivíduo com consciência decente, uma vez que este comportamento revela não só fragilidade do Estado como também, põe em causa interesse de uma Nação, em todos os domínios para não estar a enumerar os setores, mas devem saber que a juventude é sem dúvida maior vítima da situação se for verdade.

A minha inquieta-se deve-se as formas como o assunto está a ser tratado, com muita simplicidade, para não ser menos eufémico dizendo que o caso está a ser tratado com muita leviandade, sem nenhum tipo de rigor, seriedade ou responsabilidade, parece algo banal como se fosse vender mancara de um beco para outro.

Eu acho que o assunto desta natureza deve ser tratado com maior rigor e sentido de responsabilidade, porque seus efeitos são devastadores, envolve cada um de Nós, atropela violentamente o nosso Ego e põe em dúvida a nossa Dignidade como Pessoas e desacredita a Nossa Nação ou o Nosso Estado.

Este é o assunto nosso, ninguém escapa desta Rede, estamos todos amarados nesta rede, para melhor compreensão é como se fosse uma telha de Aranha, nenhum guineense escapa desta designação de pertencer a um Estado Narcótico… Não importa ser denunciante ou não, por estes e outros motivos, precisamos começar a lavar as nossas ” Roupas Sujas em Casa” é assim que os outros fazem, porque percebem da situação e sabem muito bem dos efeitos sociais das comunicações desta Natureza.

Caros Irmãos, sei muito bem que o contexto em que vivemos não é favorável, a uma reflexão ponderada da situação, mas também não justifica deitar o País para baixo, aliás sempre foi assim, não somos bons em revelar o que temos de bom! Não somos tão maus assim ao ponto de entrar em desespero e deitar tolha no Chão em como isso não pode melhorar. ” pode mudar sim”

A mudança social se faz com os homens e mulheres comprometidos com o País, se é verdade que o futuro da Guiné-Bissau apela o concurso de cada um dos seus filhos, faz todo sentido inverter as nossas ações e adotar novas abordagens, não estou apelar a passividade, mas sim a verdade, honestidade e responsabilidade, o que destruímos hoje amanhã, vamos ser chamados a sua reconstrução, Nunca se Sabe ” Arrependimento sempre é tarde.

A imagem do País está fortemente destruída, não pelos estrangeiros, por nós mesmo, aí reside a grande preocupação, Porque Isso Passa desta forma? a grande questão sociológica quando surgem fenómenos sociais estranhos a nossa reflexão, somos responsáveis pelos nossos desprezo, nas Comunidades onde estamos inserido e no Mundo, porque nunca vincamos pela proteção, preservação e divulgação da imagem positiva do nosso amado País.

Há muitas coisas erradas, ninguém tem dúvida disso, mas vale a pena manter este paradigma destrutiva?

Acho que não!

Faz todo sentido acreditar no futuro e unirmos esforço para erguer o nosso País, ninguém vem de fora para resolver o que internamente destruímos, Nós, Nós mesmo, temos que resolver isto a luz da Verdade e Responsabilidade!

Diamantino D. Lopes