A CRISE ANTROPOLÓGICA AMEAÇA O FUTURO DO MEU PAÍS

Espaço publicitário 3

28 de março 2017

A CRISE ANTROPOLÓGICA AMEAÇA O FUTURO DO MEU PAÍS

A Crise Antropológica ameaça o futuro do meu País, o facto que me deixa bastante preocupado, quando falo da crise antropológica significa portanto que estou a referir o Homem no sentido mais lato, uma vez que a Antropologia enquanto Ciência dedica-se a compreender o Homem globalmente: A sua Origem, evolução, desenvolvimentos físico, material e cultural, fisiologia, psicologia, características raciais, costumes sociais, crenças etc.

Neste particular, o que está a mexer com a minha consciência é o efeito Valor! Sociologicamente o Valor significa tudo o que é útil e desejável numa Cultura ou Sociedade, tais como a Dignidade, Respeito, Fidelidade, Harmonia, Trabalho, Consenso, Coesão, a Solidariedade, Amizade, Verdade etc e muito mais!

Ao longo da minha curiosidade reflexiva sobre a questão, percebi que a integração e regulação social do povo guineense que sempre foi alimentado por estes Valores estão  fortemente comprometido…

E o nosso futuro enquanto País e Nação depende fundamentalmente da conservação e transmissão conveniente destes valores fundamentais para garantir o equilíbrio social, este processo designa-se por Socialização processo pelo qual membros mais novos de uma família são transmitidos ensinamentos culturais da sua comunidade e mais tarde da sua sociedade, após a sua integração nas agências secundárias de socialização.

Em que…

Esta tarefa de Socialização é incumbida as duas agências a saber: Família Instituição Primária de Socialização e o Estado através das suas agências secundárias tipo Escola, Meios de comunicação Social, Locais de Trabalho e outras estruturas de Regulação Social como Tribunais, Prisão, Hospital, etc são todos considerados agência secundárias de Socialização. O problema que põe, todas estas agências então numa profunda desintegração, que de um certo modo põe em causa suas existências… Como dizem, uma Família que não sabe educar cai em decadência e destinada a desaparecer uma vez que o efeito da desintegração afeta gravemente sua honra enquanto tal…

O Reflexo da desintegração familiar influencia fortemente o tecido social e compromete o funcionamento equilibrado da sociedade e do Estado, uma vez que Estado é uma extensão da Família, ou seja uma agregação com efeito bola de neve de várias estruturas micros-social que gera uma estrutura macrossocial, com a dimensão política e caracterizado pela impessoalidade, atribuída responsabilidade administrativa do País.

A felicidade da Sociedade guineense depende da nossa capacidade de convergir “o Valor e as Ideias com o Determinismo Económico e “Interesse Político”. Nota-se uma enorme dificuldade em conciliar a “Ideia e o Material” para tirar o máximo proveito em benefício de um todo social… Se perdemos a capacidade de convergir o “interesse individual e social” será impossível falar em “Unidade Nacional, Estabilidade e Paz Coesão e muito menos o Consenso”.

Isto não implica ou não nos obriga sermos homogéneos, apenas nos apelam a concorrer para a preservação dos valores que garantem a “integração e o equilíbrio funcional da estrutura Social fortemente ameaçada pela dinâmica política partidária e interesses individuais extremos.

Ao longo dos últimos anos a Juventude guineense e diferentes Classes Socioprofissionais foram alvos de um perigoso treinamento para afastarem-se dos Valores que já citei nas narrações anteriores, tendo como a meta adotar uma nova postura unidimensional e coletiva para salvaguardar interesse dos grupos políticos específicos na luta pelo poder.

Fiz este peque ensaio para chamar a vossa atenção sobre o que se segue:

A inverdade é um grande mal social;

A indignidade é uma destruição pessoal com efeitos sociais incalculáveis;

A desonestidade consubstancia-se no desequilíbrio pessoal e social que gera falta de confiança, um capital económico e social determinantes para a nossa vida, sem a confiança não vamos a lado nenhum, por mais esforço e habilidades que dispomos;

A Coesão é indispensável para o fortalecimento da nossa integração social;

Harmonia é o valor indispensável para a nossa integração e construção de uma consciência coletiva para a defesa do interesse comum;

A crença é o nosso suporte, neste particular cada um é livre de manifestar a sua espiritualidade em função da sua orientação cultural;

Estes e outros Valores estão fortemente ameaçados pela dinâmica sociopolítica consubstanciada na luta pelo poder e pela riqueza de uma forma teleológica, quer dizer o que interessa é a finalidade última, não se importa do princípio, qualquer método é válido e isto vai acabar com a nossa sociedade…

Acho que os Pais/Encarregados da Educação das nossas Crianças, Professores e Dirigentes Políticos, precisam assumir uma postura decente para salvar a nossa Sociedade, da ameaça de destruição é iminente.

A situação tende a não melhorar porque esforçamos pouco para tal e a divisão está a ganhar o corpo cada vez mais, se a situação prevalecer o futuro continua muito incerto, com efeito ninguém sabe o que aí advém, pois é uma incógnita a situação desconfortável que não deixa ninguém sossegado porque não se sabe o que pode-lhe acontecer.

Digo-vos que estamos todos condenados a derroto posto isto precisamos congregar esforços para vencer este fenómeno.

Podem ficar descansados que ninguém vai ganhar essa guerra, todos nós perderemos, daí a necessidade de imprimir uma nova dinâmica com vista a instar um maior espirito coletivo em defesa do benefício mutuo.

Faço-lhe este apelo, espero que vai responder positivamente para o bem no nosso País.

Diamantino D. Lopes