MAU TEMPO EM BISSAU

ESPAÇO PUBLICITÁRIO 1

 

MAU TEMPO EM BISSAU

Chuva com forte vento afetam 800 famílias guineenses

 

O Gabinete do Primeiro-Ministro confirmou hoje através de uma nota à Imprensa que mais de 800 famílias foram afetadas em todo o país, pelas chuvas torrenciais registadas no passado dia 27 de corrente mês, e que provocou três mortos, a proteção civil prevê 850 mil euros para reabilitação do estrago de mau tempo

 

De acordo com a nota enviada à Rádio Nossa, o sinistro provocou danos em algumas instituições públicas, tendo motivado, de imediato, visitas do Ministro da Presidência de Conselho dos Ministros e Assuntos Parlamentares, Agnelo Regala, em representação do Primeiro-ministro, à algumas localidades afetadas, para fazer chegar a solidariedade do governo às vítimas.

 

A nota refere que o Governo já está a recolher dados sobre os prejuízos causados pelas fortes chuvas, para preparar intervenções e respostas rápidas para ajudar as famílias e instituições sinistradas.

 

O documento revela que o Executivo, em articulação com os ministérios sectoriais, criou uma Comissão para este sinistro, composta pelo Ministério do Interior, através dos serviços da Proteção Civil, da Saúde Publica, Família e Coesão Social, através da Direção Geral da Solidariedade.

 

A estrutura criada vai apoiar e prestar colaboração às famílias e as instituições públicas e privadas afectadas, de modo a proporcionar-lhes a retoma à normalidade o mais depressa possível.

 

O Executivo assegura que vai desenvolver outras acções junto dos serviços competentes, visando ajudar as populações a se prevenirem de eventuais sinistros.

Ainda estamos a fazer o levantamento e permanecem equipas no terreno, mas de momento temos 859 habitações destruídas e o registo de três óbitos, duas crianças e um adulto”, disse o presidente da Proteção Civil e Bombeiros da Guiné-Bissau, brigadeiro-general Malam Djaura. Na quarta-feira, fortes rajadas de vento e chuva fustigaram a cidade de Bissau, mas os serviços meteorológicos não conseguem explicar o fenómeno.

“Os números podem vir a aumentar. Há três equipas que continuam a percorrer os bairros da capital”, salientou.

O presidente da Proteção Civil e dos Bombeiros da Guiné-Bissau apelou às pessoas para se protegerem quando chove e há vento e para evitarem estarem nas ruas, principalmente as crianças e os idosos

 

Por: Noémia Gomes da Silva

Rádio Nossa, 03-07-18

ESPAÇO PUBLICITÁRIO 2