CARLOS GOMES JÚNIOR GARANTE QUE NÃO TEME A JUSTIÇA NEM A INSEGURANÇA

ESPAÇO PUBLICITÁRIO 1

19 De Janeiro 2018

CARLOS GOMES JÚNIOR GARANTE QUE NÃO TEME A JUSTIÇA NEM A INSEGURANÇA

O Ex-primeiro-ministro fez saber que está tranquilo e regressa para viver no seu País, uma vez não existindo outro sítio melhor que a sua terra natal para viver em segurança, resposta dada aos Jornalistas quando foi questionado se sente seguro ao voltar a Guiné-Bissau.
Carlos Gomes Júnior disse que o mundo está inseguro, há terrorismo e instabilidade em toda parte posto voltou ao seu País para promover a reconciliação entre os irmãos da mesma pátria.

O Candidato mais votado na primeira volta de eleições presidenciais antecipadas de 2012 CADOGO proferiu estas declarações esta sexta-feira a margem de uma audiência com o Presidente da República José Mário Vaz.
Por outro lado manifestou-se disponível para participar ativamente na política apesar de não ter compromisso com ninguém neste sentido, questionado se vai participar no IX Congresso do PAIGC agendado para os dias 30 de janeiro a 4 de fevereiro respondeu que isso dependerá da vontade dos militantes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde partido que liderou durantes 12 anos.

Sobre o debate quanto aos casos de assassinatos observados ao longo da sua administração a recordar o caso de Ex-presidente da República João Bernardo Vieira Nino Assassinado na sua residência horas de assassinato de Tagme Na Wai Ex-chefe de Estado-maior das Forças Armadas e outros caso tais como o de Bacirdo Dabo e Hélder Proença, Carlos Gomes Júnior garante que está pronto para responder a justiça se for chamado, segundo ele todos os cidadãos devem respeitar a justiça do seu País, sobre a esta matéria garante que dorme tranquilo com a sua consciência, nem precisa tomar medicamento para o efeito.

Carlos Gomes Júnior esteve acompanhado de Fernando Gomes líder de Movimento Cívico que mobilizou o seu regresso ao País 5 anos depois de ser exilado em Portugal na sequência de golpe de estado que o afastou das funções de Primeiro-ministro, foi o Candidato vencedor da 1ª volta das eleições presidenciais antecipadas de março de 2012, esteve na corrida com o falecido ex-Presidente da República Kumba Yalá.

Depois da reunião com o Presidente da República José Mário Vaz, Carlos Gomes Júnior foi recebido pelo Primeiro-ministro em exercício Umaro Sissoco Embaló no âmbito de contactos com as autoridades nacionais.
CADOGO promete manter encontros com todas as forças vivas da Nação incluindo os militares se for necessário.
No dia 12 de abril de 2012 o Comando Militar Sob Auspício de General António N´djalé importunarem a realização da segunda volta das eleições presidenciais antecipadas, afastando da liderança do executivo Carlos Gomes Júnior, alegando a promiscuidade de forças armadas angolanas nos assuntos da defesa nacional, apoiados por Carlos Gomes Júnior.
Diamantino D. Lopes
Rádio Nossa
19 de janeiro de 2018

ESPAÇO PUBLICITÁRIO 2